Informatização de serviços beneficia saúde pública de município do Rio Grande do Sul

por Imprensa
Acessos: 36

 

Com toda a informação na tela do computador, os atendimentos e marcação de consultas e exames de moradores de Osório (RS) foram agilizados. A informatização auxilia também o gestor no planejamento de ações em saúde

Nathállia Gameiro – Ascom Fiocruz Brasília

O município de Osório, no Rio Grande do Sul (RS), é o centro de entrada para o litoral norte gaúcho e conhecido pela beleza natural e presença de uma das maiores usinas eólicas do mundo. Osório se tornou também referência e destaque na saúde para os demais municípios gaúchos e brasileiros, com a informatização dos serviços. Na cidade, a troca das fichas de papel por dados armazenados nos tablets e computadores trouxe benefícios não só aos moradores, como também aos gestores.

A agilidade nos atendimentos e agendamentos de consultas, exames e outros procedimentos; a integração entre as unidades da rede e com os programas do Ministério da Saúde; a qualidade e eficiência no serviço prestado à população; a organização da logística do transporte sanitário; a gestão de prontuários eletrônicos; o controle dos processos de vigilância sanitária; a segurança das informações; a análise de dados para elaboração de relatórios estatísticos e redução dos custos com medicamentos com o controle do estoque foram alguns dos benefícios desse processo.

O secretário municipal de Saúde do município e tesoureiro do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), Emerson Arli Magni, afirma que a informatização permitiu à grande rede de unidades de saúde do município ter todos os dados necessários para um acompanhamento integral através do Prontuário Eletrônico do Paciente. Esse prontuário abriga também informações coletadas pelos agentes comunitários de saúde, que receberam tablets com o projeto, para inserção de informações online, que posteriormente seguem para uma única base de dados. Assim, os médicos podem visualizar todo o histórico do paciente e saber a condição geral de saúde da pessoa que está sendo atendida, assim como doenças crônicas como diabetes e hipertensão. A comunicação com a população foi facilitada com o envio de mensagens para celular com 24 horas de antecedência para aviso de consultas, exames, vacinas e marcações, não sendo necessário o deslocamento até a sede da Secretaria. Ao todo, são realizadas 12 mil consultas e exames mensalmente.

Na área da gestão, Magni conta que o processo trouxe economia de até 20% dos gastos públicos, com o controle da parte medicamentosa e avaliação da efetividade das consultas, integrando processos para auxiliar a tomada de decisão e simplificar a complexidade da administração pública. “Com esses dados e a economia a partir da organização de todos os processos da saúde pública, conseguimos criar outras políticas públicas que tragam melhorias para a população”, completa.

A população de pouco mais de 43 mil habitantes conta, desde 2009, com o projeto pioneiro que foi implantado pelo então secretário da Saúde da cidade e atual prefeito de Osório Eduardo Abrahão. Os resultados vêm sendo aprimorados e, atualmente, se tem controle e interligação de informações das 15 unidades de saúde, um centro de regulação, uma farmácia e dois Centros de Apoio Psicossocial (CAPS). A falta de integração dos dados comprometia a agilidade e a segurança do processo de assistência à população.

“Por mais que o SUS seja universal, precisa ser organizado. O sistema informatizado engloba tudo que está dentro da saúde, incluindo proteção animal e imunização, e quem ganha com isso é a população, os profissionais e gestores de saúde. Com esse esquema organizado, sabemos o que a população precisa no momento e planejamos as próximas ações. A informatização entrou e só beneficiou a comunidade”, ressaltou o secretário.

Para a informatização, foram contratados 13 profissionais de tecnologia, e a realização de compra de computadores para todos os balcões de atendimento, consultórios, salas de procedimentos e todos os setores administrativos das unidades de saúde e secretaria, além da contratação de software especialista em Saúde Pública e capacitação continuada de todos os profissionais para o uso do sistema. O processo virou case de sucesso e desde a implantação, a Secretaria de Saúde de Osório tem recebido visitas de representantes de outros municípios do estado e de fora para compartilhar a informatização.

A experiência será apresentada na Semana Saúde Única, durante a Feira de Soluções para a Saúde, que será realizada em Bento Gonçalves de 22 a 25 de abril. Será um espaço para diferentes trocas de experiências e soluções de serviços de saúde, indústrias, movimentos sociais e comunidades, relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e ao conceito de One-Health (Saúde Única – que articula as saúdes humana e animal e também o meio ambiente). Saiba mais no site https://feirasolucoessaude.fiocruz.br/.

Serviço:

Semana Saúde Única, durante a Feira de Soluções para a Saúde

Data: 22 a 25 de abril

Local: Bento Gonçalves (RS)